SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Quinta-feira, 02 de dezembro de 2021
Clima

Monitor de Secas aponta recuo de estiagem causados por chuvas do mês de outubro

Em comparação ao mês de setembro, as chuvas fizeram recuar os indicadores de seca extrema, grave e fraca em três regiões do Estado.

22/11/2021 22h15 | Atualizada em 23/11/2021 07h19 | Por: Beatriz Godoy Taveira | Fonte: Governo de Santa Catarina
Foto: Divulgação/Governo de Santa Catarina

A chuva registrada durante o mês de outubro em Santa Catarina fez com que os efeitos da estiagem fossem abrandados em parte do Estado, é o que aponta o mapa do Monitor de Secas divulgado nesta segunda-feira (22). Comparado com o mês de setembro, houve um recuo de seca extrema (em vermelho) no Oeste, da seca grave (laranja) no centro do Estado e da seca fraca (amarelo) no Leste.

O Monitor de Secas é um processo de acompanhamento regular e periódico da situação de estiagem, cujos resultados consolidados são divulgados através do Mapa. Coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), o programa conta com a adesão de todos os estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Em Santa Catarina, o projeto é feito pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema), em parceria com a Epagri/Ciram.

De acordo com os dados divulgados pelo Monitor, essa redução de intensidade da seca e da área do Estado atingida por ela é causada pelas chuvas acima da média que ocorreram em outubro, gerando uma melhora nos indicadores de impacto da estiagem na vegetação, na qualidade de água disponível para as plantas e nos níveis dos rios.

publicidade

Apesar da melhora, a região Extremo Oeste ainda apresenta uma situação grave em relação à seca, com impactos de curto e longo prazo. Nos três estados do Sul do país, o Monitor de Secas aponta para um abrandamento da seca. Ainda assim, nas regiões Oeste e Extremo Oeste do Estado, onde a situação persiste, é importante manter a atenção, principalmente por causa dos longos períodos de chuvas irregulares.

“Dentre os impactos associados, destaca-se a resposta não imediata da recarga dos aquíferos, o que implica na manutenção de medidas de combate à escassez de água pelos prestadores de serviço de abastecimento urbano para municípios que dependem majoritariamente de águas subterrâneas. Ressalta-se a importância da continuação deste monitoramento visando a gestão integrada de recursos hídricos superficiais e subterrâneos”, explica a consultora técnica da Secretaria Executiva de Meio Ambiente (Sema), engenheira ambiental Camila Leite.

 

 

OUÇA NOSSAS RÁDIOS

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
48 3045.5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.