Quarta-feira, 19 de junho de 2024

COLUNISTAS

Denis Luciano

Conselheira eleita: não tive apoio de partido político

02/10/2023 16h30 | Por: Denis Luciano
Cerca de 6 mil criciumenses votaram neste domingo / Divulgação

Prova que a disputa ao Conselho Tutelar cresceu substancialmente em repercussão, têm aparecido nas últimas horas alguns reparos às informações referentes à eleição deste domingo em Criciúma. Uma delas veio da conselheira reeleita Vanderléia Alexandre, citada ontem aqui na coluna como uma das apoiadas pelo PT e por movimentos de esquerda.

"Não possuo qualquer ligação com o partido citado, não fui apoiada por este e por nenhum partido político ou instituição religiosa", garantiu a conselheira. "Meus 408 votos tiveram origem na minha família, amigos e simpatizantes que conhecem o trabalho que faço com responsabilidade e comprometimento em defesa dos direitos humanos, da crianças e adolescentes de nossa cidade", completou.

Ao concordar com outra leitura nossa, de que a eleição "teve sinais claros de disputa de vereança, com campanhas organizadas, políticos e partidos envolvidos", Vanderléia lembrou-se trata-se de um processo de escolha, e não uma eleição como a maioria visualizou, inclusive em nível de mídia. "Acrescento a isso algumas instituições religiosas, mas jamais deve ser visto e veiculado como uma boa prévia para 2024", apontou. "Digo isto porque o Conselho Tutelar é órgão autônomo previsto em lei e o conselheiro tutelar, independente de qualquer ideologia político partidária, religiosa ou outra que vier a participar ou mesmo simpatizar enquanto conselheiro tutelar, deve ser imparcial e atuar dentro da legalidade, deve ser fiel sim ao Estatuto da Criança e do Adolescente, à Lei Federal 8069/90 e às demais leis que regem a matéria da defesa e proteção das crianças e adolescentes", frisou.

Vanderléia foi além, lembrando que "a finalidade essencial da realização da etapa Processo de Escolha, é a sociedade conhecer e escolher os mais preparados para atuar no Conselho Tutelar, para cumprir a letra da lei, ser os olhos da sociedade no ato da defesa de direitos e jamais defender interesses pessoais. Por isso que é Processo de Escolha, escolha do mais preparado, que deve ser imparcial e, de forma alguma, não pode dever favor a nenhuma classe, seja ela qual for".

Denis Luciano

Denis Luciano

Denis Luciano é jornalista e radialista com 28 anos de experiência em rádio, TV, jornal e web em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além de professor universitário. Apresentador e coordenador da Rádio Cidade em Dia.

Opiniões do colunista não representam necessariamente o portal SCTODODIA.com.br

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.