SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Invista no posicionamento digital da sua empresa com o Estúdio SContime!CLIQUE AQUI
Segunda-feira, 23 de maio de 2022

COLUNISTAS

Eduardo Ventura

Adelardo Madalena, o Ladinho falece aos 74 anos

25/03/2022 00h20 | Atualizada em 25/03/2022 03h20 | Por: Eduardo Ventura
O velório de Ladinho ocorrerá na Funerária Santa Terezinha, a partir das 7h30 desta sexta-feira. Foto: Lougans Duarte/Diário do Sul

O fim da noite desta quarta-feira, 24 de março de 2022, vai ficar marcado por mais uma grande perda da nossa cidade. No dia que Tubarão relembra a tragédia de 1974, o “campeão” nos deixa para entrar nos anais da eternidade com o seu talento dentro e fora de campo.

Faleceu por volta das 21h, no Hospital Nossa Senhora da Conceição, de infecção generalizada, Adelardo Madalena, o popular Ladinho.

Que alegria poder conviver um pouco com a sua experiência futebolística, ouvir suas histórias do tempo que era o cara que mandava na lateral esquerda do Grêmio de Porto Alegre.

Ladinho ao lado de Zenon são os grandes expoentes do nosso futebol, nascido em Tubarão, em 27 de Abril de 1947, e um pouco mais de um mês completaria 75 anos. 

Ladinho foi campeão Gaucho, Catarinense e Paranaense.Foto: Lougans Duarte, do Diário do Sul

Mas foi em 1964, aos 17 anos que iniciou a sua trajetória no futebol, a primeira camisa que vestiu foi do Ferroviário, após cinco anos no clube de oficinas e muitos clássicos FerroLuz, foi defender o América de Joinville, em 70 e 71, a Portuguesa de Desportos de SP, em 1972, atuou no Joinville, até vestir as cores do Atletico Paranaense em 1973, chegando a marcar onze gols no paranaense de 1974.

Em 1969, atuou ao lado do Imbitubense Lico no América de Joinville.

O seu grande momento foi quando o bruxo Lauro Burigo o indicou para Tele Santana, técnico do Grêmio de Porto Alegre, em 1977 até 1979, vestiu a camisa do tricolor gaúcho em 157 jogos, marcando doze gols. Após deixar o clube gaúcho, voltou para Joinville onde atuou por mais dois anos, encerrando a sua carreira aos 35 anos, no Avaí.
 

publicidade

Ladinho foi treinador nas categorias de base do Tubarão onde por algumas vezes assumiu o comando do time principal, em 2015 realizou um transplante de Rins, aos 68 anos, ele mesmo em conversa comigo falou que o motivo era as injeções que tomou para as dores e lesões que sofriam sem medir as consequências no futuro.

Aposentado, Adelardo Madalena, morava com a esposa Neusa no bairro Cruzeiro em Tubarão, internado desde janeiro no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão, Ladinho não resistiu há um quadro infeccioso falecendo na noite desta quinta-feira.

Que neste momento de dor e luto, quero endereçar os meus profundo sentimento de pesar a Dona Neusa, seus filhos Gil e Jean, e seus quatro netos.

Confesso que nunca esqueci e jamais esquecerei o dia que me recebeu em sua casa para contar um pouco das histórias do futebol, que segundo ele na época que jogava, o jogador considerado craque, tinha entrada livre no cinema, na churrascaria, fazia sucesso com as Marias chuteiras, mas o salário nem se compara com o que se ganha atualmente.

Com certeza vai deixar saudades, o agora saudoso Ladinho, um craque do futebol brasileiro.

Quem tiver a oportunidade de levar carinho e conforto aos seus familiares, seu corpo será velado a partir das 7h30 desta sexta-feira, 25, na Funerária Santa Teresinha, em Tubarão.

Ladinho vestindo as cores do Atlético Paranaense. Foto acervo pessoal.


 

OUÇA NOSSAS RÁDIOS

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
48 3045.5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.