Sábado, 25 de maio de 2024

COLUNISTAS

Fernando Barbosa dos Santos

Sustentabilidade: a quinta Revolução Industrial

22/02/2024 15h49 | Por: Fernando Barbosa dos Santos

Nos últimos séculos, a humanidade testemunhou uma série de revoluções industriais que moldaram o curso da nossa civilização, impulsionando o progresso e transformando radicalmente a forma como vivemos, trabalhamos e interagimos no meio social, econômico e ambiental. A ascensão da máquina a vapor, seguida pela eletrificação, a automação e a era da informação, todas essas revoluções deixaram uma marca indelével na história e do planeta Terra. No entanto, à medida que avançamos para o século XXI, surge uma nova revolução, uma que é fundamentalmente diferente de suas predecessoras - a Revolução Industrial da Sustentabilidade.

A Necessidade de Mudança

Se analisarmos as revoluções industriais anteriores foram caracterizadas por avanços tecnológicos que muitas vezes priorizavam a eficiência e o crescimento econômico, muitas vezes às custas do meio ambiente e dos recursos naturais e com um impacto social marcado por uma certa dualidade entre a redução das desigualdades e acúmulo de capital. No entanto, à medida que enfrentamos os desafios urgentes da mudança climática, da degradação ambiental e da escassez de recursos, tornou-se cada vez mais claro que esse modelo não é mais sustentável a longo prazo, chagando ao ponto de estabelecer de fato o conceito do Antropoceno, como vimos no artigo anterior.

Essa análise abordada aqui nesse artigo, a Revolução Industrial da Sustentabilidade vem como resposta a essa necessidade crescente de mudança. Ao contrário de suas precursoras, esta revolução não se trata apenas de avanços tecnológicos, mas sim de uma transformação fundamental na maneira como concebemos e operamos nossos sistemas econômicos e sociais. Ela reconhece a conexão entre prosperidade econômica, equidade social e saúde ambiental, buscando criar um modelo de desenvolvimento que seja regenerativo, inclusivo e resiliente não só para as gerações atuais, mas também as futuras gerações.

Princípios Fundamentais

A Revolução Industrial da Sustentabilidade é fundamentada em uma série de princípios-chave:

1. Circularidade

Em contraste com o modelo atual e todas as revoluções anteriores de "extrair, fabricar, descartar", ter como base uma economia voltada para o modelo circular buscando maximizar o valor dos recursos, mantendo-os em uso pelo maior tempo possível, recuperando e regenerando produtos, componentes e materiais no final de sua vida útil.

2. Descarbonização

Tratar com seriedade e planejamento o perigo das emissões de carbono para o clima global, a descarbonização tornou-se uma prioridade urgente a nível local, regional e global. Isso envolve a transição de sistemas de geração de energia e transporte de modo geral desde uso doméstico a de cargas para fontes renováveis e de baixo carbono, bem como a redução do desperdício e da emissão de gases de efeito estufa em todos os setores. A necessidade de tecnologias de capturas de carbono mais eficientes e a eliminação de gases como o metano.

3. Inovação e Tecnologia

O setor de tecnologia tem um papel fundamental nesse processo, a tecnologia desempenha um papel central na Revolução Industrial da Sustentabilidade, impulsionando a inovação em áreas como energia limpa, transporte sustentável, agricultura de precisão, materiais alternativos e eficiência energética.

4. Justiça Social

Uma abordagem verdadeiramente sustentável reconhece a interdependência entre equidade social, sustentabilidade ambiental e universalização econômica. Isso requer a promoção de sistemas econômicos inclusivos que respeitem os direitos humanos, combatam a desigualdade e garantam oportunidades equitativas para todas as pessoas, independentemente de sua origem ou condição socioeconômica.

5. Conservação Estratégica da Biodiversidade

A conservação da biodiversidade é essencial para a saúde dos ecossistemas e para o bem-estar humano. Portanto, ter como foco a conservação estratégica de biomas requer a proteção e restauração da diversidade de vida em todas as suas formas, incluindo espécies vegetais, animais e microbianas, assim visando continuidade e equilíbrio de serviços ecossistêmicos a curto, médio e longo prazo.

Impactos e Oportunidades

A Revolução Industrial da Sustentabilidade apresenta uma série de impactos significativos e oportunidades:

Competitividade e Crescimento Econômico: A busca pela sustentabilidade não apenas impulsiona a inovação e a eficiência, mas também promove a competitividade e o crescimento econômico. Empresas e governos que abraçam essa abordagem estão descobrindo novas oportunidades de negócios e desenvolvimento, obtendo vantagens significativas.

No contexto empresarial, a adoção de práticas sustentáveis não apenas reduz custos operacionais a longo prazo, mas também estimula a inovação, atraindo consumidores conscientes e investidores interessados em empresas com responsabilidade ambiental e social. Isso leva a um aumento da competitividade e à consolidação de uma posição sólida no mercado global.

Para os governos, investir em políticas e programas sustentáveis não só impulsiona o desenvolvimento local, mas também melhora o bem-estar social e a qualidade de vida dos cidadãos. Isso pode incluir incentivos para energias renováveis, transporte público eficiente, políticas de reciclagem e proteção ambiental, que não apenas geram empregos e estimulam a economia, mas também promovem uma comunidade mais saudável e sustentável.

Resiliência Ambiental: A promoção da resiliência ambiental é fundamental para lidar com os desafios das mudanças climáticas e outras crises ambientais. Ao reduzir sua pegada ecológica e promover a conservação dos recursos naturais, as sociedades podem fortalecer sua capacidade de se adaptar e responder de forma eficaz a esses eventos.

Ao adotar práticas sustentáveis, como a redução do consumo de energia, a minimização do desperdício e a proteção dos ecossistemas naturais, as comunidades podem mitigar os impactos adversos das mudanças climáticas, como eventos climáticos extremos e aumento do nível do mar. A conservação dos recursos naturais, como água e biodiversidade, contribui para a estabilidade dos ecossistemas e a saúde dos sistemas naturais, tornando as sociedades mais resilientes a choques ambientais.

Equidade Social: Uma abordagem sustentável pode ajudar a reduzir a pobreza, promover a igualdade de gênero e garantir que todos os membros da sociedade tenham acesso a condições de vida dignas e oportunidades significativas.

Conclusão

A Revolução Industrial da Sustentabilidade representa um ponto de virada crucial na história, uma transição para um modelo de desenvolvimento que é ambientalmente consciente, socialmente inclusivo e economicamente viável. Para que essa visão se torne realidade, é necessário um compromisso coletivo e coordenado de governos, empresas, sociedade civil e cidadãos individuais em todo o mundo. Somente através de uma colaboração global e uma ação decisiva podemos enfrentar os desafios do século XXI e criar um futuro sustentável para as gerações vindouras.

Fernando Barbosa dos Santos

Fernando Barbosa dos Santos

Fernando Barbosa dos Santos é consultor em Desenvolvimento Sustentável, atuando como advocacy ODS/SDG, plano de desenvolvimento local. Realiza pesquisa na área de desenvolvimento sustentável das cidades, resultando na criação da Simbiose Urbana. Atualmente é coordenador geral do comitê ODS Criciúma que compreende AMREC e AMESC no Movimento Nacional ODS SC.

Opiniões do colunista não representam necessariamente o portal SCTODODIA.com.br

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.