Sexta-feira, 12 de julho de 2024

COLUNISTAS

Kelley Alves

Advogado de Fernando de Fáveri descreve estado do prefeito na prisão e confia em julgamento individual

09/07/2024 16h32 | Por: Kelley Alves
Imagem: Érik Borges/SCTodoDia

O advogado de defesa do prefeito de Cocal do Sul Fernando de Fáveri, Marcos Rinaldo, está em Brasília confiante que, se os casos da Operação Fundraising forem tratados individualmente, as chances de soltura e inocentação do prefeito aumentam.

Ele aguarda o julgamento de um habeas corpus e visita o prefeito diariamente. Segundo ele, Fernando de Fáveri está consciente e calmo, certo de que não há documentos que possam incriminá-lo. Rinaldo reafirma que o prefeito não cometeu nenhum ato ilícito e que a situação está prestes a se esclarecer.

Em uma reunião com a vice-presidência do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Rinaldo discutiu o caso com o magistrado Rafael Medeiros, que, segundo ele, teria entendido a distância entre a situação do prefeito e as irregularidades apontadas na Operação Fundraising. O habeas corpus está tramitando direto na vice-presidência do STJ, aguardando algumas solicitações feitas ao Tribunal de Santa Catarina, que, também de acordo com o advogado, ainda não estão claras.

A Operação Fundraising trata até aqui os casos de 23 municípios como um único pacote. No entanto, as situações Rinaldo acredita que as situações começarão a ser divididas caso a caso, o que pode beneficiar Fernando de Fáveri. "Estou aqui no aguardo das solicitações feitas por eles, o encaminhamento para o Ministério Público daqui, e teremos a decisão. Acredito na soltura, porque não há o que tenha que possa mantê-lo segregado. O prefeito é inocente, conheço o processo de ponta a ponta," afirmou Rinaldo.

Um dos pontos na defesa do prefeito é a diferença entre o valor envolvido no contrato de Cocal do Sul e os montantes identificados em situações irregulares na operação. "Como pode, já temos na operação R$ 17.000.000,00 de situações irregulares. Por que o prefeito que fez um contrato lícito de apenas R$ 48.000,00, dentro da legítima dispensa de licitação, teria algo de irregular? Tanto que o próprio Fernando já requereu que fizesse uma Ação Regressiva pra buscar o dinheiro de volta ao erário público. Mais boa fé que isso fica um pouco difícil!" pontua o advogado.

De Fáveri, ao requisitar uma Ação Regressiva para recuperar o dinheiro ao erário público, tenta demonstrar sua boa fé e afastar qualquer suspeita de irregularidade. A defesa se mantém na narrativa de que a operação acabou sendo um grande emaranhado, onde muitos foram incluídos indevidamente.

O entendimento dele é que a justiça vai "separar o joio do trigo". 
 

Kelley Alves

As últimas da política

"O Trás do de Trás" não é apenas mais uma análise superficial dos eventos políticos; é uma jornada profunda rumo ao cerne das questões. Desafiando as narrativas convencionais e desvendando os verdadeiros interesses por trás das manchetes, revelando os jogadores ocultos que moldam o curso da história.

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.