SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Aprenda a acumular milhas >FAZER O CURSO!
Sábado, 24 de fevereiro de 2024

COLUNISTAS

Laura Lidia Rosa

A importância do cooperativismo na construção de comunidades sustentáveis

29/01/2024 00h00 | Atualizada em 29/01/2024 20h49 | Por: Laura Lidia Rosa
Foto por Laura Lídia Rosa

Caro leitor, hoje eu te convido a refletir sobre como você e eu atuamos em nossa comunidade com responsabilidade social e ambiental? Como Arquiteta Urbanista e Ecodesigner, passei a desenvolver projetos que mitigam impactos ambientais, com expertises de economia criativa, economia colaborativa, logística reversa, adoção de projetos sustentáveis, expansão em projetos culturais e principalmente a adoção de layouts com design universal, para avaliar a importância do cooperativismo na construção de comunidades sustentáveis com uma consciência coletiva, sobre como adotar a agenda 2030 em nosso cotidiano, pois o cooperativismo é uma forma de organização econômica e social que tem como base a cooperação entre os membros de uma comunidade.

As cooperativas são regidas pelos princípios do cooperativismo, que incluem adesão voluntária e aberta, gestão democrática, participação econômica dos membros, autonomia e independência, educação, formação e informação, já a comunidade sustentável adotam práticas e políticas que visam a redução do consumo de recursos naturais, a minimização dos impactos ambientais, o desenvolvimento de uma economia local resiliente e inclusiva, a promoção da equidade social, a preservação da identidade cultural e o fortalecimento da participação cívica.

Separei alguns propósitos projetuais que podem ser usados na construção de comunidades sustentáveis de várias maneiras, incluindo todos os 17 ODS, tais como:

  • 1. Erradicação da pobreza: As cooperativas podem ajudar a reduzir a pobreza, criando oportunidades de emprego e gerando renda para os membros da comunidade.
     
  • 2. Fome zero e agricultura sustentável: As cooperativas agrícolas podem promover práticas agrícolas sustentáveis e garantir a segurança alimentar das comunidades, através do uso de técnicas avançadas de cultivo, como a agricultura de precisão e a utilização de drones para monitoramento das plantações, as cooperativas agrícolas podem aumentar a produtividade e a eficiência, reduzindo o uso de recursos naturais e minimizando os impactos ambientais.
     
  • 3. Saúde e bem-estar: As cooperativas de saúde podem fornecer acesso a serviços de saúde de qualidade e promover o bem-estar das comunidades.
     
  • 4. Educação de qualidade: As cooperativas podem apoiar a educação de qualidade, fornecendo recursos e oportunidades de aprendizado para os membros da comunidade.
     
  • 5. Igualdade de gênero: As cooperativas podem promover a igualdade de gênero, garantindo que as mulheres tenham voz e participação nas decisões e nos benefícios das cooperativas.
     
  • 6. Água limpa e saneamento: As cooperativas podem trabalhar para garantir o acesso a água limpa e saneamento básico nas comunidades em que atuam,  com expertises em projetos de irrigação inteligente e implantação de ecossistema xerófito.
     
  • 7. Energia limpa e acessível: As cooperativas de energia podem promover o acesso a fontes de energia limpa e sustentável para as comunidades, elas podem utilizar a tecnologia para promover a eficiência energética e a gestão inteligente dos recursos, contribuindo para a construção de cidades mais sustentáveis e resilientes.
     
  • 8. Trabalho decente e crescimento econômico: As cooperativas podem criar empregos decentes e promover o crescimento econômico local.
     
  • 9. Indústria, inovação e infraestrutura: As cooperativas podem promover a inovação e o desenvolvimento de infraestrutura nas comunidades em que atuam.
     
  • 10. Redução das desigualdades: As cooperativas podem contribuir para a redução das desigualdades, promovendo a inclusão social e econômica.
     
  • 11. Cidades e comunidades sustentáveis: As cooperativas podem contribuir para o desenvolvimento de comunidades sustentáveis, promovendo o uso eficiente de recursos e a preservação do meio ambiente.
     
  • 12. Consumo e produção responsáveis: As cooperativas podem promover o consumo e a produção responsáveis, adotando práticas sustentáveis em suas operações, elas podem utilizar a tecnologia para aprimorar a logística de distribuição e comercialização dos produtos, reduzindo os custos e ampliando o alcance de mercado. A implantação de sistemas de rastreamento e certificação de produtos também pode agregar valor aos produtos das cooperativas, atendendo a demanda por alimentos mais seguros e sustentáveis. Uma das principais áreas em que o cooperativismo pode se beneficiar da inovação tecnológica é a agricultura.
     
  • 13. Ação contra a mudança global do clima: As cooperativas podem contribuir para a redução das emissões de gases de efeito estufa e a adaptação às mudanças climáticas. Outro campo em que o cooperativismo pode se beneficiar da inovação tecnológica é a geração de energia renovável. Através da implantação de cooperativas de energia solar, eólica ou outras fontes renováveis.
     
  • 14. Vida na água: As cooperativas podem promover a conservação dos recursos marinhos e a pesca sustentável.
     
  • 15. Vida terrestre: As cooperativas podem contribuir para a conservação da biodiversidade e a proteção dos ecossistemas terrestres.
     
  • 16. Paz, justiça e instituições eficazes: As cooperativas podem promover a justiça social e a participação cívica, contribuindo para a construção de comunidades pacíficas e inclusivas. Nesse contexto, as cooperativas podem desempenhar um papel fundamental, atuando como agentes de transformação e promovendo a integração de tecnologias inovadoras nas comunidades.
     
  • 17. Parcerias em prol das metas: As cooperativas podem colaborar com outras organizações e stakeholders para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável. O conceito de smart cities, ou cidades inteligentes, refere-se ao uso de tecnologias inovadoras para melhorar a eficiência dos serviços urbanos, a qualidade de vida dos cidadãos e a sustentabilidade ambiental.
     

No Brasil, o cooperativismo é regulamentado pela Lei nº 5.764/71, que define as regras para a constituição e funcionamento das cooperativas. O nosso país possui um grande número de cooperativas atuantes em diferentes áreas, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do país, e o objetivo das cooperativas é promover o desenvolvimento econômico e social de seus membros, através da prestação de serviços e do fortalecimento da economia local. Elas buscam garantir melhores condições de trabalho e renda para os cooperados, além de promover a solidariedade e a igualdade entre os membros.

Em resumo, o cooperativismo em comunidades sustentáveis, implantando recursos de inovação tecnológica e smart cities, pode ser uma poderosa ferramenta para impulsionar o desenvolvimento econômico, social e ambiental. Através da cooperação e da integração de tecnologias inovadoras, as cooperativas podem contribuir para a construção de comunidades mais prósperas, inclusivas e sustentáveis.

Laura Lidia Rosa

Visão além do alcance

Laura Lidia Rosa é arquiteta, urbanista, ecodesigner e xeropaisagista. Desde 2016, é CEO do Escritório de Projetos Coletivos URBAN etc., focando em treinamentos, ecomentorias, cursos e estratégias projetuais solarpunk para reduzir impactos ambientais.

Opiniões do colunista não representam necessariamente o portal SCTODODIA.com.br

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.