Sexta-feira, 12 de abril de 2024

COLUNISTAS

Lucas Marques

Empate do campo, derrota do planejamento

16/02/2024 10h59 | Por: Lucas Marques
Foto: Bianca Coan/HLFC

O placar de igualdade entre Hercílio Luz e Nação, na noite de quinta-feira, é um dos exemplos mais cristalinos para retratar o que é a temporada do Intrépido: falhas defensivas, improvisações forçadas, apoio da torcida e gols construídos na raça e qualidade individual de alguns jogadores. 

Desde que chegou ao Leão do Sul, a capacidade de tirar coelhos da cartola do técnico Alexandre Lopes vem sendo testada de diversas formas. Na escalação de ontem, não foi diferente – sem Anderson Ligeiro e Carlos Renato, lesionados, o comandante precisou usar a criatividade para suprir a óbvia e alarmante carência de jogadores ofensivos pelos lados do campo. Pela esquerda apostou no jovem Tallysson, destaque na vitória contra o Marcílio Dias, e improvisou o meia Vitinho na direita. De forma inevitável, a produção ofensiva caiu e o Hercílio foi encurralado no próprio campo pelo lanterninha Nação em diversas situações. A cereja do bolo foi o primeiro gol da equipe de Araquari, originado em uma tentativa displicente de Vitinho de driblar dois jogadores ao mesmo tempo.

Os problemas na zaga, de tão claros, longínquos e avisados, chegam a cansar este colunista que vos fala e outros colegas de imprensa. Alertamos por muitas vezes no Central do Esporte, ainda em dezembro, sobre a evidente carência de peças para o setor – chegaram o colombiano Santiago Ruiz, que estava há um ano sem atuar, e André Baumer, que segue se recuperando de uma grave lesão no joelho que sofreu ainda no Joinville e não tem qualquer previsão de ir a campo. Wallace, no auge de seus 33 anos, precisou atuar em todos os minutos da equipe no Catarinense até inevitavelmente se machucar. O Hercílio Luz é vítima de uma maré de azar – mas daquele tipo que só afeta os incompetentes. 

publicidade

Os gols sofridos escancaram tudo de errado no planejamento colorado – no segundo tento do Nação, quanto Jhonathan cabeceia sozinho, a zaga herciliista era composta pelos volantes Jean Martim e Igor Silva (que atuou em toda a segunda etapa com as costas travadas). O empate, conquistado a duras penas, é resultado da qualidade individual e dedicação de atletas como Ingro, Mariotto, Cabeça e Tanque, que saíram merecidamente aplaudidos. Ontem, o campo conquistou o empate. Quem perdeu foi o planejamento.

Por sorte, a janela de transferências estabelecida pela FCF é maior do que a de outros estaduais como o gaúcho e o paulista, que encerram seu período de inscrições nesta sexta-feira. O Intrépido tem até o dia 7 de março para abrir a carteira e atender a súplica por reforços de Alexandre Lopes na coletiva pós-jogo. A dúvida que fica é se o atual departamento de futebol tem capacidade, estofo e agilidade para trazer peças de qualidade nesse período – atenção redobrada na palavra qualidade, porque jogador apenas para fazer número e inchar a folha já existem vários.

Lucas Marques

Chute cruzado

Coordenador de esportes da Rádio Cidade Tubarão, apresentador do programa diário Central do Esporte e dos semanais Grande Área Debate e Grande Área Entrevista, co-host e produtor do Cidade a Caminho da Copa, colunista do portal SC Todo Dia, apaixonado por futebol, política e maradoniano devoto. Você me encontra nas redes sociais no @uMarrques

Opiniões do colunista não representam necessariamente o portal SCTODODIA.com.br

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.