SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Invista no posicionamento digital da sua empresa com o Estúdio SContime!CLIQUE AQUI
Quarta-feira, 25 de maio de 2022

COLUNISTAS

Matheus Aguiar

O investimento soy yo

13/05/2022 09h16 | Atualizada em 13/05/2022 12h16 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Comunicação CA Tubarão

Quando perguntei ao novo presidente do Clube Atlético Tubarão SPE, Roberto Minuzzi Jr., os motivos do grupo Baltoro não fazer um aporte relevante na equipe e pagar as dívidas com ex-funcionários e fornecedores, o ex-atleta de vôlei disse que o investimento era ele. Minuzzi merece um voto de confiança ao colocar a cara a tapa e aceitar a missão árdua de presidir o clube na condição atual.

Minuzzi concedeu entrevista ao Central do Esporte na última quarta-feira (11). Não fugiu de nenhuma pergunta. Foi humilde e teve pés no chão. Humildade para reconhecer as dívidas e que é preciso resolver o problema antes de tudo. Pés no chão porque sabe que o resultado esportivo no time profissional pode demorar a acontecer.

O Tubarão tem a Série B estadual a partir do dia 28 e não empolga a torcida. O time não deve ter grandes investimentos. Em resumo, um passo de cada vez. Nesse ponto entra o poder de convencimento do novo presidente. No fim do dia, a torcida quer ver o time ganhar, ganhar e ganhar. A missão de Minuzzi é fazer o fã do Tubarão se atentar a outros fatores que não apenas o futebol profissional, para que o clube volte a crescer na totalidade.

Mais do que um bom discurso, é preciso que o clube sinalize algo concreto. Os possíveis patrocinadores e sócios precisam saber para onde seu dinheiro está indo. Onde está sendo investido. Falar não basta, nesse caso. O passado joga contra o Tubarão, principalmente pelas ações do ex-presidente.

Minuzzi convenceu. Merece um voto de confiança. A partir de agora, vai ter uma missão tão árdua quanto a que fez o atleta fazer história como excepcional jogador de vôlei: devolver ao torcedor o orgulho de ser Clube Atlético Tubarão.

Matheus Aguiar

Vem aí o asfalto na rua dos Ferroviários

12/04/2022 11h08 | Atualizada em 12/04/2022 18h13 | Por: Matheus Aguiar
Divulgação/Prefeitura de Tubarão

Vai sair o asfalto na rua dos Ferroviários. A comunidade de Oficinas, que tanto sonhou, vai trafegar com mais segurança por um trecho importante, movimentado e que ajuda a ligar áreas diferentes da cidade.

A ordem de serviço para a pavimentação será assinada na quinta-feira (14) pela prefeitura. A empresa JR Construções e Terraplanagem venceu o edital de licitação. O investimento será de R$ 3.1 milhões e o prazo de conclusão é de três meses.

É importante salientar o esforço do vereador Thiago Zabot (DC), que conseguiu recursos do governo do Estado em razão da boa relação com o governador, Carlos Moisés (Republicanos). Também vale dizer que a gestão Joares Ponticelli (PP) tem melhorado as condições de infraestrutura do bairro. Tanto que a pavimentação vai até o final do loteamento Saul Wanderlind. A atual gestão conseguiu canalizar a vala dos Ferroviários e melhorou a estrutura da via. Quem sabe, em um futuro próximo, o governo consiga levar asfalto ao outro trecho da rua, que liga Altamiro Guimarães e Marechal Deodoro.

As lajotas da via serão retiradas e aproveitadas futuramente em um programa de pavimentação de pequenas ruas. A essas, juntam-se obras importantes tiradas do papel, como pavimentações na rua João Bristot, Tenente João Luís Maus, Rodovia Genésio Goulart, Nicolau Manoel da Silva, Teodoto Tonon, José Botega, entre outras. 
 

Matheus Aguiar

O Tubarão merecia o título catarinense de 1998?

01/04/2022 11h43 | Atualizada em 01/04/2022 14h44 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Divulgação

A repercussão do Campeonato Catarinense de 2022 tem sido intensa em razão do título ficar com um clube "menor" desta vez. Há 30 anos que o troféu é erguido por Avaí, Figueirense, Criciúma, Chapecoense e Joinville. Em 1992 o Brusque foi campeão estadual. O time pode conquistar a taça outra vez neste fim de semana. Mas esse jejum de três décadas poderia ser menor.

Em junho de 1998 o Tubarão Futebol Clube quase conseguiu erguer o troféu. Vivendo ótima fase, o clube da Cidade Azul já tinha batido na trave um ano antes, quando foi derrotado pelo Avaí. Com mais casca, esbarrou, talvez, nas dificuldades que são padrões dos clubes pequenos.

O Estadual de 1998 foi disputado por 10 clubes - em dois turnos. Na primeira fase, avançaram Criciúma, Avaí, Chapecoense e Tubarão. O time da Cidade Azul foi à final, mas foi derrotado pelo Leão da Ilha.

No segundo turno o Peixe voltou a terminar entre os quatro melhores (foi o líder). Avançou com Brusque, Avaí e Criciúma, mas foi derrotado nas semifinais pelo Brusque. O Avaí levou de novo.

Com o clube de Floripa campeão dos dois turnos, o quadrangular final do Estadual teve Tubarão, Brusque e Criciúma - os três de melhor campanha. Com turno e returno, o Tigre foi o primeiro e o Peixe o segundo.

Vários jogos e meses depois, o Estadual foi decidido pelos rivais do Sul do Estado. No primeiro jogo, em 6 de junho, O Aníbal Costa lotou. O placar final foi 1x1 - Cássio fez o gol do Tubarão e Lucianinho o do Criciúma. Uma semana depois, com gol de Marcos Paulo, o time Carvoeiro levou a melhor.

Veio o terceiro jogo e a polêmica eterna. O placar terminou 0x0 e deu o título ao Criciúma, mas o Tubarão teve um gol de Rogério mal anulado no segundo tempo. Se tivesse vencido, o Peixe levaria a decisão para a prorrogação.

Luiz Orlando de Souza foi o árbitro do confronto, com Gervásio Sidnei da Silva e Manoel Elpídio Cordeiro nas bandeiras. Várias pessoas consultadas por este colunista, desde torcedores, imprensa e também atletas do Tubarão que estavam no local foram unânimes: o gol deveria ter sido validado. Na imprensa de Criciúma muitos têm a mesma opinião. Já ouvi de Milioli Neto, falecido em 2018, que o Tubarão foi o campeão moral de 1998. 

Como não havia VAR, qualidade de imagem e nem tanta repercussão (em junho de 1998 as atenções estavam voltadas para a Copa do Mundo da França), os moradores de Tubarão lamentam até hoje aquele episódio.

O Criciúma nada tem a ver com isso. Tinha um excelente grupo e fez a sua festa. Mas, com todo respeito ao Tigre e sua fantástica torcida, segue o time que deveria ter sido campeão catarinense em 1998: Miguel; Marcos, Adelmo, Rangel e Rocha; Adriano, Chico Monte Alegre, Sandro Gomes e Luiz Carlos Silva; Rejane e Rogério. O técnico era Arnaldo Lira. Cássio, autor do gol no primeiro jogo da decisão e Eduardo, atacante de extrema qualidade, também foram peças-chave daquele time inesquecível.

* Utilizei dois sites para informações: Futebol Nacional e Meu Time na Rede (este com todos os jogos realizados pelo Criciúma). 

Matheus Aguiar

Não é mentira: ordem de serviço para pavimentação da estrada de Congonhas é marcada para 1º de abril

31/03/2022 07h21 | Atualizada em 31/03/2022 10h21 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Prefeitura de Tubarão

Os moradores do bairro Congonhas, em Tubarão, ainda acham que é mentira. No dia 1º de abril o salão comunitário vai receber dezenas de políticos para o ato de assinatura da ordem de serviço para pavimentação da estrada que liga a região ao município vizinho de Jaguaruna. O asfalto vai até a ponte que divide as cidades.

Não é mentira, apesar do ato estar marcado para às 19h de sexta, dia 1º. O asfalto deve dar mais qualidade de vida aos moradores, a quem utiliza o trecho com frequência para trabalhar e, claro, para turistas. Com a pavimentação, muita gente vai deixar de utilizar a BR 101 para transitar entre Tubarão e Jaguaruna. O local pode, no futuro, receber investimentos ligados a hospedagem e gastronomia. Pode ser um novo corredor econômico.

Outra verdade, apesar do dia 1º de abril, é que a política exige articulação. A boa intenção é essencial, mas, assim como qualquer outro trabalho, é preciso agilidade. O governo do Estado anunciou há muito tempo a destinação de recursos para que a prefeitura de Jaguaruna licitasse a pavimentação do trecho de cerca de oito quilômetros. A partir disso, a pressão aumentou para que Joares Ponticelli, em Tubarão, fizesse o mesmo.

Passados vários meses, a prefeitura da Cidade Azul não apenas conseguiu os recursos como foi ágil na licitação e agora na assinatura da ordem de serviço. São pouco mais de três quilômetros e outra obra fundamental de infraestrutura, assim como pavimentações na Estrada do Lageado, Rodovia Genésio Goulart e Tenente João Luis Maus, por exemplo.

No fim das contas, é sempre preferível trabalhar em silêncio e comemorar na hora certa do que fazer festa no momento errado.

Matheus Aguiar

O caminho do Tubarão rumo à elite de Santa Catarina

26/03/2022 07h35 | Atualizada em 26/03/2022 10h43 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Comunicação CA/Tubarão

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) divulgou ontem (25) a tabela do Campeonato Catarinense da Série B. O Tubarão já sabe as datas dos confrontos que vai realizar em sua caminhada rumo à elite do futebol de Santa Catarina.

O primeiro confronto ocorre no dia 29 de maio contra o Blumenau, campeão da Série C em 2021. A estreia do Peixe em casa está agendada para 5 de junho contra o Inter de Lages. O duelo contra o Criciúma vai ser o último da primeira fase, em 24 de julho.

Blumenau x Tubarão - 29 de maio

Tubarão x Inter de Lages - 5 de junho

Atlético Catarinense x Tubarão - 12 de junho

Tubarão x Caravaggio - 19 de junho

Tubarão x Carlos Renaux - 26 de junho

Metropolitano x Tubarão - 3 de julho

Guarani x Tubarão - 10 de julho

Tubarão x Nação - 17 de julho

Criciúma x Tubarão - 24 de julho

 

Para subir, o Tubarão precisa ficar entre os oito melhores na primeira fase. Depois disso, avançar nas quartas de final e semifinais. Ou seja, se o Peixe for finalista da segundona, estará na elite em 2023. Mas, claro, para ter sucesso, precisa investir. Apesar do ótimo início do time sub-20 no campeonato de base, apostar outra vez em um time recheado de garotos é arriscado. A Série B exige atletas experientes, que conheçam a competição. Além disso, times de boa força física são essenciais. Portanto, é preciso investir, senão fica na Série B - até porque uma vaga deve ser do Criciúma

 

Matheus Aguiar

Nova enchente: sem redragagem do rio Tubarão, risco de outra tragédia é alto

24/03/2022 09h52 | Atualizada em 24/03/2022 12h56 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Divulgação

Todo dia 24 de março é lembrado com tristeza em Tubarão em razão da devastadora enchente de 1974. Muitas vidas perdidas, prejuízos de toda ordem e um medo interminável de que tudo aquilo possa acontecer outra vez.

Também em março sempre ocorrem seminários. Eles discutem saídas para que uma nova tragédia não volte a afetar a região. As obras de redragagem do rio são necessárias, mas, infelizmente, não parecem ser prioridade para autoridades políticas, principalmente as estaduais.

Essas obras custam muito dinheiro e possivelmente demandariam financiamentos internacionais. A projeção é que o custo seja de centenas de milhões de reais. Mas o problema é que, antes disso, são necessárias licenças ambientais. E até nesse ponto há morosidade. Bom, se até para obter algo mais "simples" há muito atraso, como ter otimismo em relação às obras?

Existe uma comissão de acompanhamento dos projetos de redragagem. São engenheiros, políticos e outras autoridades em busca de soluções para o problema. Mas a impressão que fica é que o seminário anual nem precisaria acontecer. Para economizar tempo bastaria repetir todas as falas dos anos anteriores.

Enquanto isso o temor não acaba. Eventos como aquele de 1974 são cíclicos - há registros de outras enchentes em Tubarão em décadas anteriores. Em 2010 o rio quase transbordou no Centro. Serviços foram paralisados e aulas canceladas. Enquanto os seres humanos brincam com o risco, a natureza dá sinais do que pode acontecer no futuro. 

Matheus Aguiar

O sucesso do Brusque é o caminho para o Hercílio Luz

21/03/2022 10h14 | Atualizada em 21/03/2022 13h14 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Gustavo Mejia/HLFC

Quando o Brusque venceu a Copa Santa Catarina em novembro de 2018, Edilson, Airton e Zé Mateus comemoram muito a conquista. O troféu foi erguido em Tubarão, após vitória contra o Hercílio Luz nos pênaltis. Pingo era o técnico do clube do Vale. Os mesmos atletas fazem parte do plantel que acaba de eliminar o Avaí e avançar às semifinais do Estadual. Estão no grupo de Waguinho Dias que vai disputar a Série B do Brasileiro a partir de abril.

Em 2019, na histórica conquista da Série D, o mesmo Waguinho tinha no plantel outro nome conhecido: Ianson. Já em 2020, no acesso à segundona nacional, atletas como Ruan Carneiro e Everton Alemão faziam parte do grupo.

Aos poucos o Brusque foi se moldando com a exigência de novas competições. Não seria possível disputar a Série B do Brasileirão com o grupo que venceu a Copinha em 2018. Mas com um trabalho de longo prazo, manutenção da base vencedora e reforços pontuais, o clube cresceu no cenário estadual e pode voltar a levantar o troféu do Campeonato Catarinense em 2022, 30 anos após a histórica conquista de 1992.

O exemplo que o Hercílio Luz precisa seguir é esse. Planejar e ter convicção. Nomes importantes do Estadual que acabou neste domingo (20) para o time da Cidade Azul podem ser a espinha dorsal de um projeto que consolide o clube com bons resultados no futuro. Afinal, se Edilson, Zé Mateus e Airton conseguiram dar um grande salto em competitividade, o clube de Tubarão também teve atletas no Campeonato Catarinense que podem continuar vestindo a camisa. 

Matheus Aguiar

Recorde de público no Aníbal Costa?

18/03/2022 11h45 | Atualizada em 18/03/2022 14h45 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Gustavo Mejia/HLFC

Oficialmente, desde a volta ao futebol profissional, o maior público que o Aníbal Costa registrou foi em 2018, no clássico HL x Tubarão: 3.756. Era a volta do clube à primeira divisão após muitos anos e a atratividade também envolvia o rival da cidade, que levou centenas de torcedores ao estádio. O Hercílio venceu por 2x1.

Para o jogo de domingo (20) contra o Figueirense, os ingressos para visitantes, arquibancada coberta e cadeira estão esgotados. Por decisão do próprio Hercílio o duelo inicia às 11h - antes estava marcado para às 18h30. O Aníbal já viu outros bons públicos, como em confrontos contra o Camboriú, pela segundona de 2017, e diante do Brusque, na final perdida da Copa Santa Catarina de 2018.

Agora, com a possibilidade de avançar às semifinais da primeira divisão e ter pela frente Marcílio ou Camboriú, a tendência é de um grande público no Aníbal. Uma vitória simples dá ao Leão do Sul a classificação. No campo, a dúvida de Raul Cabral é no ataque. Com Tito suspenso e com o reserva imediato Vinícius Urbano sem confiança, o técnico pode utilizar um atleta de velocidade como referência. Mas isso, sem dúvida, só vai ser descoberto pelo Figueirense no domingo uma hora antes da bola rolar.

Matheus Aguiar

A presença de público no Domingos Gonzalez em 2018 e Aníbal Costa em 2022

14/02/2022 11h11 | Atualizada em 14/02/2022 14h14 | Por: Matheus Aguiar
Gustavo Mejia/HLFC e Comunicação CA Tubarão

Em 2018 o Tubarão fez uma campanha histórica, que deu ao time da Cidade Azul o 3º lugar no Campeonato Catarinense. A fórmula da época é diferente da atual e ainda hoje penso que se houvesse mata-mata o clube poderia ter chegado mais longe. 

Em 2022 o Hercílio Luz atua de maneira eficaz e lidera o estadual. A campanha é histórica e enche de sonhos a apaixonada torcida hercilista. Faltam quatro jogos da primeira fase e, após isso, o time treinado por Raul Cabral encara as quartas de final.

As duas excelentes campanhas impulsionam a presença de público nos estádios. Tanto no Domingos Gonzalez quanto no Aníbal Costa, torcedores fazem festa e torcem por boas campanhas de suas equipes. Começamos pelo Tubarão de Waguinho Dias em 2018.

 

Tubarão x Figueirense em 21 de janeiro: 1.566

Tubarão x Criciúma em 28 de janeiro: 2.018

Tubarão x Brusque em 3 de fevereiro: 1.000

Tubarão x Inter de Lages em 15 de fevereiro: 1.639

Tubarão x Hercílio Luz em 25 de fevereiro: 2.945

Tubarão x Concórdia em 7 de março: 1.899

Tubarão x Chapecoense em 18 de março: 3.040

Tubarão x Avaí em 25 de março: 2.395

Tubarão x Joinville em 1º de abril: 2.082

 

Jogos do Hercílio em 2022 no Aníbal Costa

Hercílio Luz x Juventus em 23 de janeiro: 474

Hercílio Luz x Brusque em 30 de janeiro: 1.503

Hercílio Luz x Figueirense em 6 de fevereiro: 2.116

Hercílio Luz x Camboriú em 13 de fevereiro: 2.141

 

Em todas as partidas ocorrem situações pontuais, como calor, instabilidade, má fase, preço de ingresso (alto ou com valor promocional), entre outros. O levantamento foi feito com base nos borderôs disponibilizados pela Federação Catarinense de Futebol (FCF).

Matheus Aguiar

Tubarão, Imbituba e políticos antivacina

09/02/2022 09h54 | Atualizada em 09/02/2022 12h55 | Por: Matheus Aguiar
Foto: Divulgação

Lembro da agonia das pessoas antes da vacina contra a covid-19 chegar. Centros de atendimento lotados, hospitais cheios e mortes. Havia muito medo e, infelizmente, centenas de pessoas morreram na região. Os profissionais de saúde, coitados, exaustos.

Aí chegou a vacina. Foi uma grande alegria. A coronavac começou a ser aplicada em São Paulo e logo depois foi distribuída a outros pontos do país. Logo os efeitos positivos do imunizante começaram a ser percebidos. Percebeu como trabalhadores da saúde pararam de ser afastados do trabalho? Que idosos adoeciam menos? Foi a coronavac. Foi a vacina.

Em Tubarão, no início deste ano, todos os casos positivos de covid no município são monitorados, e pode-se concluir que 83% das mortes são de pessoas que ainda não haviam completado o esquema vacinal, principalmente pessoas que não se vacinaram ou que só receberam uma dose. Em Imbituba, balanço do início da semana mostrou que todos os sete pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Camilo não foram vacinados. Nas duas cidades há doses disponíveis: para primeira, segunda e terceira aplicação. Sem contar as doses pediátricas.

É por isso que precisamos excluir da vida pública políticos que colocam em dúvida a eficácia da vacina - muitos, por sinal, tomam o imunizante. Utilizam dinheiro público para pregar um comportamento totalmente inadequado. Estão contribuindo para a morte de pessoas. Como possuem seguidores, conseguem convencer muitos a fazer coro antivacina. Vai pra cima dessa turma, Zé Gotinha!

OUÇA NOSSAS RÁDIOS

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
48 3045.5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.