SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Aprenda a acumular milhas >FAZER O CURSO!
Sábado, 24 de fevereiro de 2024

COLUNISTAS

Paula Mazini

Em busca da felicidade duradoura: uma perspectiva Yóguica sobre a essência interna da alegria e a lei da impermanência

24/11/2023 13h30 | Atualizada em 24/11/2023 16h29 | Por: Paula Mazini
Foto: Unsplash

Vivemos em um mundo onde a busca pela felicidade muitas vezes está atrelada a fatores externos transitórios. Contudo, há uma jornada mais profunda, uma exploração interior que nos leva a uma felicidade verdadeiramente duradoura - uma que não se abala pelas vicissitudes da vida, mas floresce a partir da essência interna.

Na filosofia do yoga, encontramos uma visão singular sobre essa busca. O yoga não apenas é uma prática física, mas também um caminho de compreensão profunda da natureza da felicidade. Vai além das poses e respirações, adentrando o território da mente e do espírito, revelando segredos sobre a fonte da alegria duradoura.

Explorando a felicidade duradoura através da meditação:

A prática da meditação é um pilar essencial do yoga, oferecendo uma jornada tranquila para o centro do nosso ser. Como o mestre Swami Satchidananda afirma: "Meditação é o mergulho interior para encontrar a pérola da bondade eterna." Ao fechar os olhos e dirigir a atenção para dentro, transcendemos as preocupações externas e mergulhamos na quietude do momento presente. A meditação nutre nossa mente e espírito, proporcionando uma sensação duradoura de paz e clareza.

Ao nos familiarizarmos com a quietude interna, descobrimos uma fonte constante de alegria que não está sujeita às flutuações externas. Como diz Paramahansa Yogananda: "A verdadeira felicidade é interior, e a verdadeira paz é algo inatingível a menos que nós mesmos a conquistemos."

A nutrição do corpo espiritual:

Assim como nutrimos nosso corpo físico, a filosofia yóguica nos incentiva a nutrir nosso corpo espiritual. Isso não se refere apenas à alimentação física, mas também ao que nutrimos em nossas mentes e corações. O mestre B.K.S. Iyengar nos lembra: "Nutrir o corpo nos momentos de dor é como guardar dinheiro para o futuro."

A alimentação consciente, centrada em alimentos integrais e equilibrada com a prática de ahimsa (não violência), é considerada crucial no yoga. A comida, vista como uma fonte de prana (energia vital), desempenha um papel fundamental em como nos sentimos internamente.

Felicidade como autorealização e completude:

No cerne da felicidade duradoura está a jornada da autorealização. O mestre indiano Sri Sri Ravi Shankar expressa: "A felicidade não é um resultado. É uma viagem. A realização da vida não vem ao fazer o que queremos, mas ao entender quem somos."

A busca pela felicidade duradoura é, em última análise, uma jornada de completude. Ao integrar as diversas facetas de nossa existência - corpo, mente e espírito - encontramos uma harmonia interna que transcende as circunstâncias externas. Essa completude nos capacita a enfrentar os desafios da vida com uma resiliência que emana de nossa essência mais profunda.

A lei da impermanência: aceitando a natureza transitória da existência:

Entender a impermanência é essencial na jornada para a felicidade duradoura. Como ensina o mestre budista Thich Nhat Hanh: "A impermanência é uma lei da natureza. Nada que é faça pode durar para sempre." Aceitar que todas as coisas estão em constante movimento e mudança nos liberta das amarras do apego e nos permite fluir com a corrente da vida.

A compreensão da impermanência nos lembra que, assim como as estações mudam, nossas experiências também passam. Não podemos agarrar-nos a momentos específicos, pois a vida é um fluxo constante. Essa aceitação nos liberta da rigidez mental, permitindo-nos abraçar as mudanças como oportunidades para crescimento e transformação.

Cultivando a felicidade duradoura com compaixão:

No trajeto para a felicidade duradoura, a compaixão é como um farol, iluminando o caminho interno e externo. Como disse o Dalai Lama, "se você quer ser feliz, pratique a compaixão; se você quer que os outros sejam felizes, pratique a compaixão." Este princípio ressoa profundamente na filosofia do yoga.

A compaixão consigo mesmo é um aspecto muitas vezes esquecido da jornada interior. O mestre Thich Nhat Hanh destaca que "quando você sabe como gerar compaixão em você mesmo, é capaz de nutrir os outros." Aceitar nossas imperfeições e tratar a nós mesmos com bondade durante os altos e baixos é crucial para manter uma base sólida de felicidade interna.

Expandindo essa compaixão para além de nós mesmos, encontramos um elo essencial na construção de relacionamentos significativos. O mestre indiano Amma nos lembra: "A verdadeira compaixão é quando todos são reconhecidos como reflexos da divindade." Ao reconhecer a humanidade nos outros, criamos conexões mais profundas e nutrimos um ambiente de compaixão mútua.

Dentro dessa visão, a compaixão é mais do que um sentimento; é uma ação. Como parte integrante da busca pela felicidade duradoura, a compaixão nos impulsiona a contribuir positivamente para o mundo ao nosso redor. Ao fazer o bem aos outros, experienciamos uma satisfação duradoura que transcende a gratificação momentânea.

Conselhos prânicos para uma vida mais leve (Com citações adicionais):

À medida que incorporamos a compaixão em nossa jornada, seguimos os conselhos prânicos de sábios mestres para uma vida mais leve. O mestre indiano Sadhguru nos incentiva a "manter nossas vidas prânicas" - nutrindo não apenas o corpo, mas também o prana, a energia vital que sustenta a existência.

Da mesma forma, o mestre Osho nos lembra da importância de viver "em contato com o prana, com a vida que está pulsando dentro de você." Ao cultivar uma conexão mais profunda com a energia vital, encontramos uma fonte renovável de alegria e vitalidade.

Em síntese, a felicidade duradoura encontra sua essência na prática da compaixão, irradiando desde o autocuidado até o cuidado pelos outros. Ao incluir esse componente vital em nossa jornada, alinhamos nossas vidas com os princípios atemporais do yoga, nutrindo não apenas nosso bem-estar pessoal, mas também a harmonia que permeia todo o universo.

Paula Mazini

Respira Vida

Bacharel e licenciada em Educação Física pela Universidade Tuiuti, do Paraná. Possui formação em Yoga pela Escola Gaya Bem-Estar. É personal trainer, professora de treinamento funcional e natural yoga. Idealizadora do Projeto Respira Vida, que tem a proposta de gerar acolhimento físico e emocional, por meio de vivências em grupo, terapias, dança, movimentos corporais e foco na respiração.

Opiniões do colunista não representam necessariamente o portal SCTODODIA.com.br

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.