SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

A concorrência cresce no digital e sua empresa não tem presença online?EVOLUA!
Quinta-feira, 07 de julho de 2022

COLUNISTAS

Ronaldo Sant'Anna

A tecnologia e o flâneur

30/05/2022 11h14 | Atualizada em 30/05/2022 13h00 | Por: Ronaldo Sant'Anna
Imagem: Pexels

O poeta francês do século XIX Charles Baudelaire foi o primeiro a escrever sobre o flâneur, termo que define alguém que observa o mundo, que olha sem se envolver, um personagem que está imerso em determinada situação, mas não participa da mesma, que analisa com distanciamento o que está acontecendo. O flâneur quase sempre está longe de casa, mas sente-se em casa. Vê o mundo, está no centro do mundo, porém, ao mesmo tempo, permanece escondido do mundo. Esta é a definição do filósofo alemão Walter Benjamin, famoso por participar da Escola de Frankfurt, a qual desenvolveu o conceito de Indústria Cultural. Outros pensadores também trabalharam no conceito de flâneur, ligando-o à modernidade, às metrópoles, urbanismo e cosmopolitismo.

Para Baudelaire, a noção de flâneur é muito mais poética, designa aquele observador descompromissado, que tem como único interesse perceber o que acontece ao seu redor, sem um objetivo maior, somente tentando ver o detalhe que vai revelar algo profundo, muitas vezes escondido, de um indivíduo ou uma sociedade, podendo, ou não, torná-lo público.

 

Dá para perceber que, para o poeta, a atividade do flâneur tem um “quê” de pesquisador, de explorador, alguém que procura por alguma coisa, porém que realiza essa busca sem ansiedade, sem tensão, para compreender o que acontece no mundo, ou em um pedaço específico do mundo. O problema é que, neste cotidiano cada vez mais veloz e agitado no qual vivemos, é muito difícil conseguirmos nos distanciar do que acontece ao nosso redor, e as redes sociais colaboram para isto, fazendo com que, ao contrário, estejamos cada vez mais envolvidos nas situações.

Porém, este envolvimento, apesar de aparentemente profundo, é, na verdade, superficial, porque a observação é terceirizada, isto é, os dados que recebemos são recebidos de outros observadores. A tecnologia do século XXI está fazendo com que este personagem tão interessante, que gerou centenas de obras literárias, esteja condenado a desaparecer.

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.