Sexta-feira, 19 de abril de 2024
Geral

Ex-secretário de Administração de SC é preso na 3ª fase da Operação Alcatraz da PF

Ação investiga casos de corrupção e lavagem de dinheiro em Florianópolis e São José

Florianópolis, 14/10/2021 18h20 | Por: Redação | Fonte: Policia Federal
Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (14) a terceira fase da Operação Alcatraz, que investiga supostos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A ação, batizada de "Obstrução", também cumpriu cinco mandados de busca e apreensão, com diligências em Florianópolis e São José.

Alvo de mandado de prisão preventiva, o ex-secretário-adjunto de Administração de Santa Catarina Nelson Castello Branco Nappi Junior foi preso e conduzido para a superintendência da PF na capital. Nappi Júnior, que já cumpre prisão domiciliar, vinha sendo investigado na operação, na qual a polícia havia cumprido mandado de busca e apreensão em outras fases das investigações.

Segundo informações obtidas junto à PF, o ex-secretário ficará detido em cela especial, numa das dependências das Forças Armadas, da polícia ou do Corpo de Bombeiros. A mulher, Cristiane Rios dos Santos Castello Branco Nappi também foi conduzida à Polícia Federal, mas sem mandado de prisão.

A ação, que foi autorizada pela Justiça Federal da Capital, é resultado do que foi apurado nas apreensões e investigações de fase anterior da Alcatraz, deflagrada em janeiro deste ano e denominada de "Hemorragia".

Ainda de acordo com a PF, o inquérito policial da ação desta quinta-feira teve início após a apreensão de bens, documentos e equipamentos eletrônicos na residência de um dos investigados de participar do esquema. Entre os alvos, três residências e uma empresa familiar de um suspeito receberam os agentes.

Apesar de preso desde a primeira fase da operação, o indiciado, segundo a PF, contou com auxílio da esposa. Em coletiva, o procurador da República, Alisson Nelício Cirilo Campos, informou que a mulher, Cristiane, era responsável por buscar valores com terceiros para quitar despesas. Ela deve responder por lavagem de dinheiro, obstrução e corrupção.

publicidade

HISTÓRICO DA OPERAÇÃO ALCATRAZ

Apesar das investigações terem tido início em meados de 2018, foi deflagrada no ano seguinte, quando a Polícia Federal (PF) descobriu outras irregularidades em contratos na gestão pública estadual. Em janeiro deste ano, a fase da operação chamada de "Hemorragia", teve como alvo uma organização criminosa suspeita de corrupção, fraude em procedimentos licitatórios e lavagem de dinheiro no Estado.

Diante dos fatos, a Justiça Federal condenou três envolvidos na operação, entre eles, Nelson Nappi Júnior, o ex-servidor público Luiz Carlos Pereira Maroso e o empresário da área de tecnologia, Maurício Rosa Barbosa.

Além deles, o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Julio Garcia também foi alvo da PF, e chegou a ter a prisão domiciliar decretada durante a segunda fase da operação.

Os investigados poderão responder por crimes previstos na Lei de Lavagem de Dinheiro e na Lei de Organizações Criminosas.

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.