Terça, 16 de abril de 2024
Internet

Quer manter sua segurança? Evite fazer estas 3 buscas perigosas no Google

Embora o buscador forneça agilidade e facilidade nas pesquisas, também pode oferecer riscos à segurança e à privacidade dos usuários. Saiba como evitar

Brasil , 26/06/2023 22h32 | Por: Redação | Fonte: R7
Foto: Freepik / SCTodoDia

Em virtude da imensa quantidade de conteúdo disponível na internet, as pessoas têm acesso quase infinito às informações ao alcance da palma da mão. A popularidade dos sites de busca é promovida pela sua velocidade e eficiência, permitindo que os usuários encontrem respostas para suas perguntas e adquiram novos conhecimentos, tornando-se uma parte fundamental da sociedade.

O Google é, atualmente, o maior site de buscas da internet, com mais de 100 bilhões de pesquisas feitas mensalmente por todo o planeta.  

Ele revolucionou totalmente o mercado, com uma plataforma que indica links associados às pesquisas, recebendo valores das grandes empresas que querem que os seus nomes apareçam como os primeiros indicados.

Embora tenha facilitado muito a nossa vida, o Google pode não ser o local mais seguro para se fazer certos tipos de pesquisas. Isso porque, ao pesquisar tais assuntos, há riscos que podem ser evitados pelos usuários.

Atualmente, a preocupação com a segurança de dados e com a privacidade se tornou extremamente relevante. Os sistemas de cookies e algoritmos que vendem históricos e informações dos usuários às empresas de venda de serviços e produtos fazem com que suas pesquisas não sejam totalmente privadas.

O  site DuckDuckGo, um dos maiores buscadores usados por quem navega pela deep web, revelou que os buscadores acessam as informações e rastreiam pessoas até mesmo durante pesquisas no navegador anônimo. Por isso, é bom tomar cuidado na navegação e jamais pesquisar alguns assuntos no grande buscador. Confira a seguir.    

publicidade

1. Palavras suspeitas ou comprometedoras

Embora muitos já saibam, vale lembrar que pesquisas com termos suspeitos podem relacionar suas buscas a atos criminosos. Palavras-chaves como “armas” ou “drogas” devem ser evitadas ao máximo, visto que há casos de pessoas denunciadas apenas com base em seu histórico de buscas.

2. Sintomas de doenças e diagnósticos

Embora o Google tenha lançado recentemente uma função no Lens que o faz reconhecer certos problemas de pele, não é aconselhável pesquisar sintomas de doenças ou qualquer tipo de remédio no buscador. Isso porque o software traça o seu perfil e pode relacioná-lo a certas propagandas para lhe enviar.

Além disso, os resultados podem não ser os esperados nem os mais precisos. Cada caso de sintomas pode estar relacionado a problemas diferentes, sendo assim, o melhor a se fazer é buscar um médico para examinar. Quem nunca pesquisou algum assunto simples e, nos resultados, foi indicado “câncer” incorretamente?

3. Informações pessoais

É terminantemente proibido, para sua segurança, usar a barra de pesquisa para colocar seus dados pessoais, como CPF e RG. Além disso, informações de localidade detalhada, como número de casa ou apartamento, não devem ser colocadas, mesmo que o Google tenha acesso ao seu GPS ou IP.

Vale ressaltar que os dados inseridos em sites nos quais é necessário o cadastro não são compartilhados com outras empresas ou mesmo com o Google. Já aqueles colocados na plataforma podem ser facilmente expostos.

Portanto, a melhor dica é usar buscadores confiáveis que fazem da segurança e da privacidade uma prioridade. DuckDuckGo e ToR são dois ótimos exemplos. Ainda é possível usar softwares de segurança para mudar a VPN com certa frequência.

Leia mais

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.