SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Quinta-feira, 02 de dezembro de 2021
Tecnologia

Investigação sobre atuação de plataformas no combate a fake news e ataques na internet é instaurada por MPF

O Ministério Público Federal pede esclarecimento às principais redes sociais e aplicativos do Brasil sobre quais providências são tomadas contra a disseminação de conteúdos falsos.

09/11/2021 17h30 | Atualizada em 10/11/2021 08h25 | Por: Beatriz Godoy Taveira | Fonte: Ministério Púbico Federal
Foto: Freepik

Um inquérito civil público foi instaurado para investigar a postura das principais redes sociais e aplicativos de mensagens em relação ao enfrentamento às fake news e à violência digital. Whatsapp, Telegram, Facebook, Instagram, Twitter, TikTok e Youtube serão as empresas que terão que prestar esclarecimentos de suas atuações contra práticas organizadas de desinformação que colocam em risco a saúde da população e o funcionamento das instituições democráticas.

O Ministério Público Federal (MPF), através da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, estabeleceu um prazo de dez dias para que as empresas possam enviar as informações. Além de explicar quais providências são tomadas para detectar e combater ações como produção de conteúdos falsos, disparo de mensagens em massa e uso de robôs e perfis fictícios, as plataformas também deverão fornecer versões atualizadas de seus termos de uso, políticas de moderação de conteúdo e relatórios de transparência, especificando quais canais são disponibilizados para denúncias e indicar detalhadamente quais condutas violam suas regras.

publicidade

Após esclarecidas essas informações o MPF deve promover audiências públicas para discutir o tema, ouvindo especialistas e abordando temas como o financiamento da disseminação de conteúdos falsos. Segundo o órgão, as práticas organizadas de desinformação, por terem intenções econômica ou política, devem ser compreendidas como formas de propagandas e, por isso, se submeter a controle e regulação.

Especialmente durante a pandemia da Covid-19 os efeitos das fake news foram sentidos com maior impacto, com a proliferação de informações falsas que podem induzir a população a minimizar os riscos da doença e até mesmo a recorrer a medicamentos e métodos sem eficácia comprovada, além de desprezar a importância da vacinação. Com a aproximação do período eleitoral, a disseminação de conteúdos de motivação política podendo comprometer práticas democráticas somados aos ataques digitais contra profissionais da imprensa, que podem configurar como formas reflexas de censura, tornam ainda mais importante a fiscalização e debate sobre o assunto.

“Estes elementos de desinformação, quando disseminados em larga escala no ecossistema da internet, engendram cenários de 'desordem informacional' ou 'caos informativo', com potenciais efeitos danosos para a compreensão de certos fatos pela população, pertinentes à eficácia de ações de saúde pública, à proteção do meio ambiente e mesmo ao funcionamento das instituições democráticas do país”, destaca o MPF na portaria de instauração do inquérito.

OUÇA NOSSAS RÁDIOS

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
48 3045.5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.