SCTODODIA - Ligados em tudo

Escolha a sua região:

Invista no posicionamento digital da sua empresa com o Estúdio SContime!CLIQUE AQUI
Quarta-feira, 25 de maio de 2022

COLUNISTAS

Milton Alves

Ponticelli afirma que vai apoiar Carlos Moisés

22/05/2022 22h40 | Atualizada em 23/05/2022 01h38 | Por: Milton Alves

“Não tem como eu não apoiar Carlos Moisés na reeleição. Você não pode ser ingrato aquele que lhe estende a mão”

Tivessem essas palavras sido ditas pelo prefeito de um dos vários municípios de pequeno ou médio porte de Santa Catarina, boa parte deles encantados com a política municipalista adotada pelo governador nesses últimos dois anos de mandato, pouca ou quase nenhuma repercussão teríamos. Nem repercussão e muito menos consequência. Aliás, o exemplo mais verdadeiro dessa idéia ocorreu no final do ano passado, quando o prefeito Agnaldo Felipe de Pedras Grandes afirmou em alto e bom som que não abriria mão de apoiar Carlos Moisés em 2022, pois só assim poderia retribuir a tudo o que o Governo do Estado vem fazendo por sua cidade. Na ocasião ninguém do PP, partido de Felipe, contestou o posicionamento do prefeito pedra-grandense. Agora, porém, a repercussão será inevitável e com consequências inimagináveis, pois a declaração é de ninguém mais, ninguém menos, que o prefeito de Tubarão Joares Ponticelli, o mais importante dos prefeitos progressistas e o único que a sigla tem comandando um dos chamados “grandes municípios”, aqueles com mais de 100 mil habitantes. Não obstante, Joares, que foi deputado estadual em várias legislaturas, presidente da Assembleia Legislativa e inclusive governador em exercício, já secretariou e presidiu o partido em nível estadual, e com lastro eleitoral e extremamente articulado, é uma liderança com um peso enorme nessas horas. Lapidado pelas várias vitórias obtidas como deputado e prefeito, Joares não por acaso é considerado a maior liderança que a sigla tem hoje além de Esperidião Amin e sua esposa Ângela. E como para muitos ele seria o único com cacife para confrontar com o senador, o que já pode acontecer nas eleições desse ano caso Amin insista em uma candidatura própria ou conduza o partido pra compor em outra chapa, contrariando a tendência da maioria dos prefeitos que querem apoiar Carlos Moisés, talvez tenha sido isso que fez Joares optar por marcar terreno. Ao tornar público que não existe nenhuma possibilidade de ser contra o atual governador, sinaliza a Amin que está fora do projeto que ele criou por conta própria, e que pode levar consigo a maioria dos prefeitos do partido. Vale lembrar que Joares foi também presidente da FECAM e tem acompanhado o movimento estadual de prefeitos a favor do apoio ao governo municipalista de Carlos Moisés.

A entrevista

Essa declaração pública de apoio de Ponticelli ao governador Moisés foi dada a este colunista em entrevista no final de semana quando da entrega da Ordem de Serviço para pavimentação da rodovia José Botega, ligando Tubarão a Treze de Maio. Até então Joares havia confessado a assessores e amigos, entre os quais alguns jornalistas, que estava ficando difícil trabalhar contra Moisés, mas tratava o assunto com uma certa cautela e evitava se posicionar oficialmente. Agora, talvez até para evitar que contem com ele no projeto pessoal do senador Amim, resolveu escancarar de vez a parceria com o projeto do governador. Confira a entrevista que vai ao ar, na íntegra, na manhã desta segunda-feira no Notícias da Cidade, da Cidade 103,7 FM de Tubarão.

 

Por gratidão

Segundo Joares, a principal justificativa do seu apoio é o sentimento de gratidão: “Você não pode ser ingrato aqueles que lhes estendem a mão. Estamos acelerando o crescimento dessa cidade e o governador Moisés tem contribuído em muito. Eu não tenho como ser ingrato e injusto de no momento que ele precisa, que será nas eleições, deixar de dar meu apoio”. Joares afirma que o seu partido já sabe dessa sua posição.

Milton Alves

Vai para o Guinness: o maior caldo de tilápia do planeta

02/05/2022 16h07 | Atualizada em 02/05/2022 22h15 | Por: Milton Alves

A panela, em forma de tacho, denominada de Sítio Novo em homenagem a essa comunidade de Imaruí, e que ornamenta o CTG Sítio Novo, de Joinville, onde tem parada fixa, já está no livro mundial de recordes como a “Maior Panela do Planeta”. Pelo menos nunca foi contestada depois de ter sido feito o registro e anunciado mundialmente. Agora será a vez do caldo para o qual ela foi emprestada, que deve colocar a simpática Armazém também no Guinness World Records. O volume do alimento produzido no último sábado, durante a 1ª Festa da Tilápia do município, com quase quatro mil pratos servidos, parece ter sido mesmo o “Maior Caldo de Tilápia do Planeta”. 

 

  • 1 / 1
Milton Alves

A briga será entre Moisés e Jorginho

20/04/2022 05h15 | Atualizada em 20/04/2022 16h14 | Por: Milton Alves

O MDB pode estar ao lado de Carlos Moisés (Republicanos), nas eleições para governador em outubro? Pode.

O senador Jorginho Mello, do PL, seria o principal adversário do atual governador nessa disputa? Penso que sim.

Mas não tem mais ninguém com chances de vencer? Tem, mas aí teríamos que nos deparar com uma outra conjuntura, que ainda não surgiu no horizonte dessas eleições de 2022.

Na verdade sou bastante cético em relação a candidatura do ex-prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro. E esperar que a esquerda catarinense, mesmo com o reforço de Dário Berger, tenha cacife para chegar ao segundo turno, é meio que acreditar que o coelhinho bota ovo. Nem nos melhores momentos dos governos de Lula e Dilma o PT e seus puxadinhos obtiveram sucesso em Santa Catarina. Lula até já teve boas votações aqui, mas só ele. 

Por isso acredito que, caso as convenções confirmem seus nomes, com o MDB apoiando o atual governador, sem qualquer desmerecimento a outros candidatos, a disputa deve ficar mesmo entre Jorginho Mello, candidato de Jair Bolsonaro, e Carlos Moisés, aquele que se elegeu em 2018 na onda bolsonarista, mas depois se desentendeu e deixou de apoiar o atual presidente da República. Disputa, aliás, que vem sendo prevista em todas as pesquisas feitas até então, como a do IPC em março. 

Outra conjuntura

A outra conjuntura seria uma terceira via. Aliás, essa famigerada “terceira via” não tem conseguido muito sucesso no cenário nacional, mas aqui em Santa Catarina, até que poderia vingar, e – a meu modo de ver - seria a única chance de desmontar a polarização que deve acontecer entre Jorginho e Moisés. Todavia, para que isso vire uma realidade, se faz necessário o surjimento de uma chapa encabeçada por um candidato com forte densidade política, tipo Esperidião Amin (Progressistas), aliado a PSD, PSDB e outros partidos mais, por exemplo. Se não for assim, só vão gastar tempo e encarecer ainda mais a campanha.

 

Milton Alves

Novo piso, prefeito!

18/04/2022 05h25 | Atualizada em 18/04/2022 13h45 | Por: Milton Alves
Imagem: acervo pessoal

A grama sempre é um bom espaço em áreas públicas, ou até mesmo propriedades particulares, para descansarmos, curtirmos a natureza, fazermos um piquenique ou assistirmos as crianças se divertindo. No caso da Praça do Avião, em Tubarão, principalmente. Até porque foi na grama que a prefeitura encontrou o local necessário para implantar um escorregador bem característico, com a homenagem para qual a praça serve, a aviação.

Só que a praça virou um sucesso, o brinquedo mais ainda, e o grande volume de frequentadores fez com que a grama, que serve de piso para o brinquedo, fosse embora. Semana passada, na sexta-feira, depois de alguns dias chuvosos, o que antes era grama ficou assim, piso enlameado. Vamos arrumar uma solução, mesmo que seja paliativa? Com a palavra os gestores municipais. 

 

  • 1 / 2
  • 2 / 2
Milton Alves

O recuo de Moisés em relação ao leite

07/04/2022 16h10 | Atualizada em 11/04/2022 13h43 | Por: Milton Alves

Acuado pela reação dos produtores, consumidores e até mesmo da rede atacadista que, em parte, optou por escancarar que o responsável pelo reajuste dos preços do leite UHT, aquele da caixinha, era o próprio Governo do Estado por ter retirado o mesmo da lista dos produtos considerados de uso popular, alterando a alíquota de imposto de 7 para 17%, Carlos Moisés voltou atrás e determinou que se desse um novo rumo a questão. Por isso  representantes do governo se reuniram na última quarta-feira à tarde na Assembleia com dirigentes do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados (Sindileite-SC) e deputados estaduais. Na ocasião, o Governo tentou justificar o injustificável e expôs a intenção de enviar um novo projeto de lei (PL) para reduzir o ICMS do leite longa vida para 7% e, assim, incluir novamente o produto na cesta básica. Quando isso vai acontecer ainda não foi anunciado, mas deve ser nos próximos dias ou horas. Fez bem. Alguns supermercados da rede, como o Althoff, por exemplo, resolveram expor cartazes nas prateleiras de leite, como este da foto, esclarecendo de quem era a culpa pelo reajuste do leite sem que estejamos na entressafra ou, tenhamos alguma outra anomalia na produção. Em ano eleitoral isso não é nada bom.  

Milton Alves

Pepe Colaço e os candidatos de Tubarão

06/04/2022 16h15 | Atualizada em 06/04/2022 22h22 | Por: Milton Alves

Além dos que já são deputados eleitos por outros colégios e terão o apoio de seus diretórios aqui na cidade, casos de Volnei Webber, do MDB de São Ludgero, e Felipe Estevão, o lagunense que seguiu o PSL na formação do União Brasil, a "Cidade Azul" terá nas eleições deste ano (pelo menos são pré candidatos) três nomes nativos que buscarão uma cadeira na Assembleia Legislativa: Pepe Colaço, do Partido Progressista; Felipe Tesmann do PSC e Tiago Zabot da Democracia Cristã. Pepe Colaço integra um grande projeto regional com a participação de vários diretórios e lideranças do partido, não só da Amurel, mas de todo o Sul. Atropelado na eleição passada pela "onda Bolsonaro", Pepe fez naquela ocasião 24.911 votos, ficando na quarta suplência do seu partido, com exatos 5.586 votos atrás do último eleito da sigla, que foi Altair da Silva, com 30.497 votos. Aqui em Tubarão Pepe fez 10.111 votos.

 

 

Milton Alves

O asfalto na Toca

04/04/2022 05h20 | Atualizada em 04/04/2022 14h08 | Por: Milton Alves

Sábado serviu para que a Setep executasse mais uma parte do contrato de pavimentação asfáltica das ruas da conhecida Toca, no entorno da Catedral de Tubarão. Na etapa deste último final de semana, foram asfaltados os trechos finais das ruas da Piedade e 27 de Maio. Falta ainda um trecho da Anita Garibaldi e as ruas Tomas João da Silva e Salvato José Elias, que devem primeiro receber uma rede de esgoto, ou a retificação da atual. 

Confesso que não entendi bem a explicação que foi dada pelo engenheiro da empreiteira. Só não consigo imaginar porque já não fizeram esse serviço antes, o que permitiria que a Setep concluísse toda a obra no sábado. Mas tudo bem, menos mal que os projetos estão saindo do papel.  

 

 

 

  • 1 / 1
Milton Alves

O Pai Laércio

31/03/2022 19h57 | Atualizada em 01/04/2022 00h11 | Por: Milton Alves

Não sei se é Tarô, Búzios ou Bola de Cristal. O que sei é que o consultor político Laércio Menegaz Junior tem mostrado que realmente o que estudou, na área da ciência política, tem sido bastante proveitoso na hora de analisar as nuances dos bastidores de nosso Estado. Pelo menos nas previsões sobre candidaturas pré anunciadas. No início dessa semana, quando fechava o quadro "Politizando", que vai apresentar todas as segundas feiras as 07h30min dentro do "Noticias da Cidade", cravou - sem medo de ser cobrado:  "as candidaturas de João Rodrigues e Clésio Salvaro para o governo, e de Luciano Hang para o Senado, não  existem. Tudo não passa de balão de ensaio". Na mosca. Tanto Rodrigues quanto Salvaro já se manifestaram publicamente sobre a não candidatura. Hang não disse nada até agora, mas os mais chegados dão conta de que ele nao vai pra essa aventura. 

Interessante é que segunda feira, minutos antes de falar sobre os prefeitos, Laércio também havia comentado que Sérgio Moro não continuaria na disputa pela presidência. Hoje se confirmou a desistência. Vale lembrar que isso tudo foi falado na segunda-feira, dia 28, e está gravado.

Joga na loteria, Laércio!!!

Eleições e os balões de ensaio 

A verdade é  que nunca na história do Brasil, pelo menos nos tempos pós período militar, uma eleição presidencial teve tantas pré candidaturas que optaram por abandonar o barco, aos 45 do segundo tempo, vamos dizer assim. Alardearam tanto, prometeram tanto, discutiram tanto e, no final, resolveram virar balões de ensaio. Se para proveito próprio, buscando conhecer seus próprios limites dentro de um pleito ou se para tentar descontruir as duas candidaturas que polarizam a disputa ainda não sabemos, mas não vai ser dificil descobrir. Deixa chegar as convenções que a gente verá de fato quem fica na disputa, e para que lado penderão os iluminados da "terceira via". Se é que eles não vão, ainda tentar, criar uma opção para o eleitor. Seria meio por teimosia, mas eles tem esse direito e ninguém pode impedi-los. 

Milton Alves

Os frutos da missão a Israel

22/03/2022 23h02 | Atualizada em 23/03/2022 13h36 | Por: Milton Alves

Tubaronenses que foram a Israel, acompanhando o prefeito Joares Ponticelli em mais uma missão naquele país, mais especificamente a cidade irmã de Hefer Valley, voltaram bastante surpreendidos com o que viram e com as perspectivas de trazer para cá tecnologias e ideias que possam auxiliar ainda mais no nosso desenvolvimento. Um dos projetos já liberados pelos israelenses diz respeito à produção de hortifrútis através de modernas estufas. O desenvolvimento das mesmas deverá acontecer em uma parceria do município com a Epagri, que inclusive se fez representar na viagem.

Vai mesmo pelo União Brasil

O vice-prefeito de Tubarão, Caio Tokarski, vai mesmo se filiar ao União Brasil para disputar uma cadeira à Câmara dos Deputados em outubro próximo. Caio avaliou com carinho o convite feito pelo governador Carlos Moisés, para que migrasse com ele ao Republicanos, da mesma forma que já havia manifestado carinho quando esteve ao lado de Jorginho Mello, no PL. Ocorre que, tanto no PL, de Jorginho, quanto no Republicanos, do governador, o problema é o excesso de candidatos no Sul do Estado, saindo um pouco daquilo que se imagina satisfatório para siglas menores, que vão ter que primeiro fazer legenda, e depois definir o mais votado.

No dia mundial da água

Trinta anos após a ONU instituir o 22 de março como o Dia Mundial da Água, o Brasil se aproxima da aprovação pelo Legislativo da Política Nacional de Infraestrutura Hídrica, que busca assegurar o abastecimento de água à população brasileira. O projeto prevê instrumentos para a gestão integrada das bacias e a participação da iniciativa privada na construção e exploração de recursos hídricos.

Investimentos

Segundo o Governo Federal, o setor vai demandar investimentos de R$ 40 bilhões até 2050, o que não será viável apenas com recursos públicos. A reserva de água que temos na Amazônia, por exemplo, especialmente no Amazonas, com rios volumosos, são, sem dúvida nenhuma, uma riqueza do planeta. E nesse sentido o projeto do governo que institui a Política Nacional de Infraestrutura Hídrica prevê um investimento privado na exploração desses recursos.

Os riscos de mais de 50 milhões

A verdade é que mais de 60 milhões de brasileiros vivem em cidades com menor garantia de abastecimento de água, o que se traduz em risco constante de racionamento. A escassez também ameaça as atividades de produção, como indústria e agropecuária, que dependem da água para produzir cerca de R$ 228 bilhões da riqueza do país por ano. As informações são do Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH), lançado em 2019 pelo Governo Federal.

Reforma tributária

Uma boa notícia aos municípios é que a proposta de reforma tributária em tramitação no Senado prevê um Fundo de Desenvolvimento Regional de aproximadamente R$ 30 bilhões em recursos. A quantia representa 5% da receita projetada para o Imposto Sobre Bens e Serviços (IBS). Na avaliação do deputado federal Luis Miranda (REPUBLICANOS-DF), que cuida da relatoria da matéria, a reforma, além de tornar o sistema de cobranças de impostos menos complexo, vai ajudar a reduzir as desigualdades do Brasil.

Os anti vacinas 

Se alguém pensa que é só por aqui que existem pessoas atrasadas, que ainda não foram tomar o reforço da vacina, está enganado. Cerca de 59 milhões de brasileiros estão aptos a tomar a dose de reforço contra a Covid-19, mas ainda não voltaram às unidades de saúde para receber o imunizante. É o que diz o Ministério da Saúde, em seu levantamento mais recente sobre a cobertura vacinal no país. Mais de 60 milhões (sequência…) até sexta-feira passada, 62,3 milhões de brasileiros acima dos 18 anos tinham tomado a dose de reforço contra a Covid-91. Isso significa uma cobertura vacinal de apenas 39%. Ou seja, 61% dos brasileiros estão com o esquema vacinal contra o novo coronavírus incompleto. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirma que é importante manter o esquema vacinal atualizado.

Milton Alves

As dúvidas do Caio candidato

16/03/2022 05h00 | Atualizada em 16/03/2022 13h36 | Por: Milton Alves

O vice-prefeito Caio Tokarski, atualmente no comando do município em virtude da viagem do prefeito Joares Ponticelli a Israel, vai esperar a volta do titular para tomar uma decisão sobre em qual sigla se filiará, objetivando buscar uma cadeira na Câmara Federal, nas eleições de outubro. Caio, que começou o ano no seu partido de origem, quando se elegeu vice-prefeito de Tubarão, o PSD, já esteve no PL e tem flertado com o União Brasil, fruto da fusão do PSL com o DEM. Esse flerte, todavia, por questões logísticas, pode não levar a noivado e, muito menos, casamento, e por isso surge no contexto a possibilidade de filiação ao Republicanos.

O governador Moisés 

Os Republicanos já tinham sido o primeiro partido sondado para recebê-lo quando Caio deixou o PSD, mas o projeto acabou esfriando porque a sigla já estava programado o encaminhamento do ex-vereador tubaronense, Lucas Esmeraldino. Que atualmente também é um possível candidato à Câmara dos Deputados. Mas, por que então Caio iria agora para o Republicanos, se lá atrás já abandonou essa ideia, tendo em vista a presença de Lucas? Porque agora o projeto passa pelas mãos do governador Carlos Moisés, que se filiou ao partido, e é uma das únicas lideranças, neste momento, com capacidade de “acomodar” as candidaturas, evitando que haja um choque entre Lucas e o atual vice-prefeito de Tubarão.

 

 

OUÇA NOSSAS RÁDIOS

SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
48 3045.5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.