Segunda-feira, 15 de abril de 2024

COLUNISTAS

Gisele Victor Batista

Como as bicicletas podem contribuir com a Agenda 2030 e os ODS?

16/11/2023 10h15 | Por: Gisele Victor Batista
Imagem cedida pela colunista

O Relatório das Nações Unidas (ONU) informa que o transporte sustentável não é uma finalidade em si, mas um meio que permite às pessoas acesso a qualquer necessidade, seja emprego, mercados e bens, interação social, educação e uma série de outros serviços que contribuam para uma vida mais plena e saudável dos indivíduos. A adoção de transportes sustentáveis tem benefícios diretos na qualidade socioambiental dos ambientes urbanos, que vão desde a redução das emissões de gases poluentes que intensificam o aquecimento global, até impactos econômicos e sociais que são ocasionados por mortes e sequelas de trânsito, pela falta de acesso à mobilidade – direito de ir e vir-  que tende à segregação espacial e impede a materialização oportunidades aos cidadãos.

Mas, a mobilidade sustentável representa mais que ações vindas do poder público, como a promoção de políticas públicas, o planejamento dos territórios e os investimentos em infraestrutura urbana. Ela requer, também, uma mudança de comportamento no modo de vida individual, reduzindo os impactos das atividades cotidianas e gerando ações que impulsionam a produção e o consumo sustentável e promovam o desenvolvimento consciente em escala global.

Como forma de contribuir com essa temática, apresentamos neste artigo algumas conexões entre os ODS e a mobilidade sustentável, a partir da perspectiva da bicicleta. Este velho e conhecido meio de transporte tem sido apontado por especialistas como um bom aliado ao melhoramento da qualidade dos ambientes urbanos, especialmente por sua capacidade de reduzir impactos e melhorar a saúde e o bem-estar dos usuários. Para tanto, foram eleitos os seguintes ODS:


ODS 1 – ERRADICAÇÃO DA POBREZA: a bicicleta pode facilitar à população de baixa renda a ter uma maior mobilidade e circulação, ampliando sua capacidade de inclusão e integração com as atividades que são desenvolvidas nos meios urbano e rural;


ODS 3 – SAÚDE E BEM-ESTAR: a bicicleta promove um estilo de vida mais ativo e saudável ajudando a combater doenças relacionadas à falta de exercício físico, assim como de auxiliar na conexão com o meio ambiente e na saúde mental; 


ODS 4 – EDUCAÇÃO DE QUALIDADE: além do transporte escolar, público e gratuito, a bicicleta pode se tornar uma opção para estudantes de todas as classes e regiões para se deslocarem aos centros de ensinos, especialmente aqueles situados em locais mais remotos e de difícil acesso;


ODS 6 – ÁGUA POTÁVEL E SANEAMENTO: o uso de bicicletas diminui a demanda por áreas de estacionamentos de veículos motorizados e preserva as áreas verdes, o que tende a aumentar a infiltração da água no solo, permitindo o ciclo hidrológico natural e reduzindo os riscos de enchentes e alagamentos. Ainda, o uso de transporte de bicicletas preserva o meio ambiente e evita derramamento de óleo e carreamento de demais poluentes aos corpos d'água;


ODS 8 – TRABALHO DECENTE E CRESCIMENTO ECONÔMICO: iniciativas relacionadas à bicicleta, como programas de compartilhamento e serviços de entrega por bicicleta, podem gerar empregos e apoiar a economia local. Outros serviços associados podem ser incrementados, aumentando oportunidades para diversos postos de trabalho;


ODS 11 - CIDADES E COMUNIDADES SUSTENTÁVEIS: tornar as cidades mais sustentáveis exige reduzir os congestionamentos e melhorar a mobilidade urbana, integrando vários modais. Para isso, é preciso criar mais ciclovias e otimizar os espaços urbanos, tornando-os mais acessíveis e inclusivos à toda população; 


ODS 12 – CONSUMO E PRODUÇÃO RESPONSÁVEIS: a bicicleta é uma forma de transporte sustentável que não requer o uso de combustíveis fósseis, contribuindo, assim, para a promoção de formas mais limpas de mobilidade urbana;


ODS 13 – AÇÃO CONTRA A MUDANÇA GLOBAL DO CLIMA: a bicicleta é um transporte sustentável que favorece a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE) e a adaptação às mudanças climáticas;


ODS 15 – VIDA TERRESTRE: o aumento do uso de bicicletas reduz a demanda por veículos motorizados individuais e, por consequência, restringe a contaminação do solo e da água pelo descarte inadequado dos carros no meio ambiente;


ODS 17 – PARCERIAS E MEIOS DE IMPLEMENTAÇÃO: a implementação efetiva de soluções de mobilidade sustentável, em especial às bicicletas, requer colaboração entre governos, setor privado e sociedade civil, destacando a importância das parcerias e a promoção produção e consumo mais sustentáveis.


Como se percebe, o uso da bicicleta está alinhado à promoção de modos de vida sustentáveis, como escolhas conscientes, redução do uso de recursos naturais, práticas que minimizam a geração de resíduos e reduzam as emissões dos gases que intensificam o efeito estufa (GEE). Sem contar que, esse comportamento positivo contribui, diretamente, para a saúde dos indivíduos, aumentando o bem-estar e a qualidade de vida como um todo. Mas é preciso que os governos sejam mais atuantes, para que se possa incorporar as bicicletas nas políticas de transporte e urbanismo das cidades, e se avance em várias metas da Agenda 2030, promovendo um desenvolvimento mais equitativo e ambientalmente responsável para todos e todas.
Bicicultura|2023: Florianópolis vai sediar o maior evento brasileiro de mobilidade por bicicleta e cicloativismo, que acontecerá no entre 15 a 19 de novembro, no Centro de Eventos da UFSC, tendo como tema central “Tema: Cidades Pedaláveis, Cidades Democráticas”. O Movimento Nacional ODS SC é apoiador e participará deste importante evento com a Palestra “Pedalando para um futuro sustentável: Como a bicicleta pode transformar o mundo e contribuir com a Agenda 2030 e os ODS”.

O Bicicultura é um encontro anual, organizado pela sociedade civil, para celebrar e impulsionar a cultura da bicicleta como meio de mobilidade nas cidades brasileiras. É um espaço para o convívio, compartilhamento de conhecimento e formação de alianças entre ciclistas, cicloativistas e todos os entusiastas e interessados, de todos os setores sociais, na democratização urbana, na sustentabilidade ambiental e na qualidade de vida que a bicicleta proporciona.

Saiba mais: https://bicicultura.org.br/floripa-2023/

Venha fazer parte das transformações que o mundo precisa!
Se você ou sua empresa pode fazer mais e melhor para cuidar das pessoas e do planeta, faça parte do Movimento Nacional ODS SC. É um movimento social constituído por voluntários, de caráter suprapartidário, plural e ecumênico, com a finalidade de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade catarinense. Busca a construção de uma sociedade melhor, socialmente inclusiva, ambientalmente sustentável e economicamente equilibrada.

https://sc.movimentoods.org.br
 

Gisele Victor Batista

Sustentabilidade em Pauta

Top Voice Sustentabilidade
e ESG LinkedIn

Diretora da Harpia Meio Ambiente
Coordenadora Adjunta de Mobilização do Movimento Nacional ODS SC
contato@harpiameioambiente.com.br

Opiniões do colunista não representam necessariamente o portal SCTODODIA.com.br

VER COLUNAS
SCTODODIA - Ligados em tudo Grupo Catarinense de Rádios
Alfredo Del Priori, 430 Centro | Criciúma - SC | CEP: 88801630
(48) 3045-5144
SCTODODIA - Ligados em tudo © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.